Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Opiniões e Postas de Pescada

Opiniões e Postas de Pescada

12
Nov19

Sobre a mãe que deixou o bebé no lixo

Miúda Opinativa

Na primeira vez que li alguma coisa sobre este caso senti uma coisa estranha dentro de mim. Eu, que até me considero uma pessoa relativamente insensível, pensei "se tivesse sido eu a encontrar a criança, fazia tudo para ficar com ela". Tenho andado um coração de manteiga, mas fiquei verdadeiramente triste com a situação. 

Discuti sobre o assunto com algumas pessoas. Que não obstante o facto de o ato daquela mãe ser hediondo, seria necessário dar um passo atrás e pensarmos um bocadinho sobre o que lemos. Que para a criança ter sido deitada naquele caixote de lixo, naquela zona, e sem sequer ter sido retirado o cordão umbilical, provavelmente a mãe tinha dado à luz ali mesmo, naquele mesmo sítio. E que para isso ter acontecido, muitas coisas teriam corrido mal. Muitas coisas mesmo. E tudo isto torna a situação ainda mais triste, mais revoltante. Porque em Lisboa, em 2019, ainda há pessoas que dão à luz no meio da rua. 

Apesar de tudo isto, continuo a achar que sim, que a mulher que o fez deverá ser ir a tribunal pelo que fez. Afinal, se hoje em dia é crime abandonarmos os nossos animais, será igualmente crime abandornarmos bebés em caixotes de lixo. Mas também acho que faz sentido a situação ser analisada de uma forma holística. 

E tentarmos perceber que às vezes, as coisas são mais complexas do que parecem. 

12
Nov19

A pessoa tenta. Mas nem sempre consegue.

Miúda Opinativa

Pois que isto das mudanças - e de passar por demasiadas mudanças para um curto espaço de tempo - nem sempre é isento de ansiedade, incerteza e até alguma tristeza. Pois que isto das mudanças gera um loop difícil de acompanhar - um loop entre o optimismo ("Foi uma boa decisão!") e o pessimismo ("Foi um tiro no pé para a minha carreira..."). 

Um loop entre "fiz o que tinha que fazer para bem da minha sanidade mental" e o "mas porque raio não poderia ter corrido bem? A vida é injusta". 

Um loop entre "se calhar nem deveria ter saído do meu antigo emprego - aquele que ficava muito longe - porque agora as coisas estão a mudar e a minha colega vai até Barcelona" e "bem, mas pelo menos estou a ganhar um bocadinho mais e vou trabalhar mais perto de casa". Embora, ah ah, no final não seja assim tanto mais, sobretudo tendo em consideração os gastos que vou ter. 

A pessoa tenta ser optimista - e por vezes até consigo. Mas nem sempre consegue. Quando começa a pensar em tudo isto... Nem sempre consegue.  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D