Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Estou oficialmente velha. E conservadora.

por Miúda Opinativa, em 27.06.17

Eu não sou uma pessoa particularmente formal. Embora não seja uma pessoa naturalmente extrovertida ou sociável, tenho ar de miúda e não acho que sejamos mais ou menos sérios por vestirmos fato e gravata, no caso dos homens, ou uma saia e casaco, no caso das mulheres. 

 

No entanto, acho que diferentes contextos exigem diferentes indumentárias. E uma coisa é irmos para a escola, outra coisa é irmos para a praia, outra coisa é irmos para o trabalho e outra coisa é irmos sair à noite. 

 

No dia em que fui fazer um dos meus exames do 11º ano, ia sair de casa com uma saia "de praia", um top (tapadinho) e de chinelos. A minha mãe disse-me para ter juízo, que não ia assim fazer o exame, porque embora a escolha fosse relativamente próxima da praia, eu não ia para a praia, ia para a escola fazer um exame. E há-que perceber os contextos. Troquei de saia, por uma que não era de praia, e a minha mãe levou-me à escola para fazer o exame. 

 

Dias mais tarde, cruzámo-nos na escola com uma pessoa com um "vestido de praia". A minha mãe olhou e disse-me "estás a ver? Também está de vestido de praia. Não fica bem... Não achas?" E eu respondi "pois mãe, não fica... Mas é uma professora, não é uma aluna". 

 

Reparem, por esta história, a minha mãe até pode parecer uma daquelas senhoras conservadoras... Mas não é o caso. A minha mãe não apresentou qualquer objecção à minha segunda saia no dia do exame. A minha mãe apenas achava que se eu ia para a escola e não para a praia, então não deveria usar uma roupa de praia. Na altura, eu não protestei muito com ela porque, bem, até me fazia sentido. 

 

E agora, com mais 11 anos em cima, ainda concordo mais. 

 

No meu trabalho, somos informais. Podemos vir de calças de ganga, sandálias, ténis, calções, saias. Mas acho que às vezes, as pessoas entram numa informalidade exagerada. Porque, lá está, estamos num local de trabalho, não estamos na praia. E é aqui que me sinto velha, mas ver umas calças com rasgões enormes na zona da coxa, mesmo abaixo da virilha, parece-me um pouco de mais para, lá está, um local de trabalho. Ou calções curtos de pano. Não me faz grande sentido. Nem pequeno. Não me faz sentido. 

 

Claro que para tudo isto é relativo. Eu às vezes vou de ténis para o trabalho mas, embora não sejam ténis demasiado desportivos, podem ser considerados, por algumas pessoas, como desadequados a este contexto. 

 

E não é que é verdade? A partir de uma certa idade começamos a pensar como as nossas mãe... XD

 

Mas eu acho que tem que haver algum bom senso. Não sou a favor de uma ditadura, mas tem que haver bom senso. Sim, podem-se usar calções/saias... Mas com conta, peso, medida e, no caso, tecido. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


7 comentários

Imagem de perfil

De Chic'Ana a 27.06.2017 às 10:03

Eu penso que a tua mãe tem razão, e tu também! Cada ambiente exige uma determinada indumentária, mesmo que seja opcional...
Eu opto sempre por conjugar uma calças de ganga, por exemplo com uma camisa mais formal.. Ou então uma parte de simples mais descontraída com uma parte de baixo mais clássica..
Assim estou sempre bem, quer seja para uma reunião, quer seja para um momento de descontração.
Beijinhos
Imagem de perfil

De Miúda Opinativa a 27.06.2017 às 21:50

Exactamente! Mas às vezes falta uma coisa espectacular, chamada "bom senso" :P
Sem imagem de perfil

De Lápis Roído a 27.06.2017 às 12:01

As pessoas devem andar de acordo com aquilo que as deixa confortáveis. Deixarmo-nos influenciar pelo contexto acaba por não nos deixar ser aquilo que somos ou queremos ser. Convenções sociais nunca nos fizeram andar para a frente,, acho eu.
Ai, ai! Uma semana de BE e ficavas afinadinha! =P
Imagem de perfil

De Miúda Opinativa a 27.06.2017 às 21:53

Ah ah! Por isso é que não sou bloquista :P
Eu concordo com a premissa de que as pessoas devem andar de acordo com aquilo que as deixa confortáveis. Contudo, é possível andar confortável sem cair em exageros. Repara, o meu calçado preferido (e mais confortável) são pantufas no Inverno e sem sapatos no Verão. E no entanto, não vou para o trabalho de pantufas nem descalça. Como até posso ir de ténis, vou de ténis; no entanto, não vou com os meus ténis de corrida...

É possível estarmos confortáveis e adequados ao contexto ;)
Sem imagem de perfil

De Lápis Roído a 28.06.2017 às 00:00

Eu entendo o que queres dizer, mas repara: o que é exagerado para ti pode não ser para outra pessoa e vice-versa. No mundo em que vivemos é tudo muito relativo.
Ainda assim, gostava de te ver de pantufinha a entrar noworkplace. Descalça já é mais vulgar. A Cesária Évora só cantava descalça e a Áurea parece que gosta de imitá-la =P
Imagem de perfil

De Marta a 27.06.2017 às 16:03

Concordo e acho que não tem a ver com idade! Tenho 22 anos e às vezes faz-me confusão a escolhas de certas pessoas para determinadas situações. A mais estapafúrdia que vi nos últimos tempo foi uma colega de faculdade que, em dia de apresentação pública do trabalho final, vai em traje de praia para a sua apresentação, com malas atrás porque a seguir ia de férias.
Obviamente que foi chamada a atenção. É bom haver essa "liberdade" e essa possibilidade de se trabalhar num ambiente informal, mas como em tudo na vida, há sempre alguém que interpreta isso como não haver limites.
Beijinhos!
Imagem de perfil

De Miúda Opinativa a 27.06.2017 às 21:57

Credo! Agora fizeste-me lembrar uma colega minha da faculdade que ia para as aulas com 1 top com as costas praticamente todas destapadas (tinha só um fiozinho a meio). Era waaaay tooo muuuch.

Às vezes as pessoas queixam-se, e eu concordo, com o dress code dos seus locais de trabalho porque têm que ir demasiado informais. Acontece muito em consultoria, em que têm que estar no escritório de fato e gravata, mas depois, quando vão para o cliente, têm que tirar a gravata para ficarem mais adequados aquele contexto. E eu percebo a irritação com tudo isto. Mas por outro lado, também percebo que do lado dos managers e partners haja uma certa relutância em mudar isto. Porque se mudarem, se calhar cai-se num exagero... Não sei.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D